Mariana Esportes

News

30/08/2011

Nove estádios da Copa ficam prontos até o fim de 2012, diz Dilma


Depois dos operários do Maracanã manterem a paralisação das obras na manhã desta sexta-feira, chegou a vez dos baianos ameaçarem fazer greve na construção da Arena Fonte Nova, que também será uma das sedes da Copa do Mundo de 2014. Descontentes com o valor da cesta básica de R$ 130, os trabalhadores pedem um aumento de R$ 30 já para o próximo mês.

Segundo Adalberto Galvão, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada da Bahia (Sintepav), uma nova assembleia está marcada para o início da semana.

- Fizemos uma reunião com os trabalhadores nesta quinta-feira. Eles disseram que estão sentindo o aumento da inflação. Uma cesta básica na Bahia, com 12 produtos, está custando R$ 210. O Consórcio atendeu outros pedidos importantes, mas esse é indispensável para os operários, que já queriam entrar em greve. Contudo, gosto de trabalhar para buscar uma solução que possa ser boa para todas as partes. Estamos esperando uma posição na reunião marcada para a próxima terça-feira. Mesmo com a obra estando 30% adiantada, não queremos que o Brasil passe um vexame internacional – disse por telefone.

Dentre as reclamações feitas pelos operários, estava o desvio de funções dentro da obra, e eles não recebiam por isso – O Consórcio reconheceu que 22 profissionais estavam sendo sobrecarregados. Além disso, também não aprovavam a comida oferecida na hora do almoço. Segundo Adalberto Galvão, a qualidade e a quantidade dos alimentos eram bem diferentes no refeitório da administração. Outro ponto foi uma recusa da empresa em liberar o acesso dos trabalhadores que chegavam atrasados. Eles acabavam perdendo a diária.

Depois de uma reunião entre o Sindicado e a Fonte Nova Negócios e Participações (FNP), os trabalhadores conseguiram a maioria das reivindicações, mas faltou o aumento da cesta básica. Para Ney Campello, Secretário do projeto Copa de 2014, os operários já receberam muitos benefícios e não têm muito que reclamar. Mesmo considerando desnecessário esse impasse, ele acha que um acordo será feito para que a cidade não perca com uma possível greve.

- Estamos aguardando FNP (Fonte Nova Negócios e Participações SA.) se pronunciar sobre o único ponto pendente (cesta básica). Mas é bom lembrar que houve uma Convenção Coletiva em abril e tudo foi pactuado com os trabalhadores para um valor de R$ 130. Torço muito para que o problema seja acertado logo, mas temos que ter um cuidado no país para que o calendário da Copa não nos torne reféns. Isso vai ser definido ainda hoje. Acho possível que a FNP venha atender o pedido.

As informações são do Globoesporte.com.